Biomecânica na Educação Física

O corpo humano é um dos primordiais objetos de estudo do varão. À procura por assimilar o seu trabalho, contrapõe-se sua dificuldade, levando cientistas estudiosos a aprofundar qualquer vez mas os seus estudos. Dentro deste contextura se encontra a Biomecânica, que é uma disciplina derivada das ciências naturais que se preocupa com a estudo física dos sistemas biológicos, examinando, entre muitos outros, os efeitos das forças mecânicas sobre o corpo humano em movimentos quotidianos, de trabalho de esporte. No século XX ocorreram grandes avanços tecnológicos que se refletiram nos métodos experimentais usados em praticamente todas e cada uma das áreas de atuação científica, incluindo a Biomecânica, ocasionando um extensa progresso nas técnicas de mensuração, armazenamento processamento de dados, fatos estes que contribuíram para o estudo melhor compreensão do movimento humano.

A Biomecânica é um dos métodos para estudar a forma como os seres vivos (especialmente o varão) se adaptam às leis da mecânica realizando movimentos voluntários. Para Donskoy & Zatsiorsky (1988) a Biomecânica é a ciência das leis do movimento mecânico nos sistemas vivos deve ser também definida como a emprego da Mecânica a organismos vivos tecidos biológicos. Nigg (1995) define Biomecânica como sendo a ciência que examina as forças que atuam externa internamente numa estrutura biológica o efeito produzido por essas forças Hatze apud Nigg (1995) diz que ela é a ciência que estuda estruturas funções dos sistemas biológicos usar o conhecimento os métodos da Mecânica. A Biomecânica estuda diferentes áreas relacionadas ao movimento do humano animais, incluindo: (a) trabalho de musculos, tendões, ligamentos, cartilagens ossos, (b) cargas sobrecargas de estruturas específicas, (c) fatores que influenciam a performance. A Biomecânica do Esporte se dedica ao estudo do corpo humano do movimento esportivo em relação a leis princípios físico-mecânicos, incluindo os conhecimentos anatômicos fisiológicos do corpo humano (Amadio, 1996). No Brasil, os resultados das pesquisas em Biomecânica têm persuadido de forma direta na medicina, otimização do trabalho, fabricação de equipamentos esportivos diversos outros aspectos da vida humana (Nasser, 1995).

Ela também deve facilitar na produção de conhecimento para obtenção de competências tecno-motoras, que levam em consideração as peculiaridades dos elementos, do contexto sua organização, possibilitando uma efetiva aprendizagem (Crum, 1993). Para Moro apud Nasser (1995), a Biomecânica possui escoltado o ensino das técnicas associando a prevenção músculo-esquelética do tipo nas ações cotidianas, evitando para certos esforços desnecessários possam danificar suas estruturas que sua ação motriz seja racionalizada.

O progresso da Biomecânica como disciplina científica que estuda funções dos seres vivos transformou-se, ao longo dos últimos três séculos, bastante espaçoso disso resultaram múltiplas divisões didáticas delimitação de território de especialidades científicas, como Biomecânica do Movimento Humano, Biomecânica Clínica de Restauração, Biomecânica de Tecidos Biomateriais, Biomecânica Músculo-esquelética Métodos Técnicas de Busca em Biomecânica. Qualquer uma destas áreas, por sua vez, abrange diversos posses, como os exemplos ilustrados o tela 1.

Biomecânica como disciplina na Ensino Física

Não só a Biomecânica como as outras disciplinas científicas levam em consideração peculiaridades específicas de um campina de estudos relacionados com as diversos áreas da Instrução Física. o profissional insere-se no contexto inerente desta profissão, este percebe que, no sentido operacional, os ideias determinados para qualquer Ciência são no mínimo pobres, não informam as reais peculiaridades de qualquer plaino de conhecimento. O que presentemente nota-se é a infinita sucessão de conhecimentos que o educador físico deve dominar para praticar sua função. A medida que o leque de atuação profissional dos diferentes campos de trabalho vai sendo ampliado, percebe-se que diversos dos conhecimentos julgados inúteis mostram-se extremamente adequados aos fenômenos apresentados. É típico que os raça que conhecem bastante pouco do ramo científico, afirmem que o mesmo só de presta para um determinado termo. Afirmações como essa, se tomadas como verdade dificultam a compreensão das reais posses de aplicações das informações oriundas de gênero de de conhecimento científico. Por consequência é de fundamental relevância que argumentações simplistas sejam examinadas no que se refere à seu proporção de verdade, de antemão de serem adotadas como válidas de formas a evitar tanto quanto uma aceitar adiantado quanto uma repudiação incondicional. Segundo Amadio & Duarte (1996) deve-se levar em consideração qualquer disciplina que compõe o espectro que investiga o movimento, como a antropometria, anatomia funcional, neurofisiologia, fisiologia por norma geral, bioquímica, psicologia esportiva, medicina desportiva, ensino do movimento desportivo, sociologia, física, matemática processamentos de sinais eletrônicos a própria Biomecânica em uma estudo interdisciplinar, com finalidade de se tenha como escutar melhor a dificuldade do estudo do movimento. O que deve acontecer é a habilidade de o mestre descobrir utilizar destes conhecimentos gerando novos conhecimentos condizentes com a veras quando seu público objectivo está inserido, seja em clubes, academias ou escolas.

No caso da Biomecânica, por ex, deve-se declarar que essa cobija uma efetiva utilização como instrumento instrutivo. Desde seus variados ideias, nota-se as diferentes abordagens /ou preocupações que ela traz. O ato educativo, recepcionado como principal ação da Instrução física no contexto escolar, determina amplas capacidade. Em primeiro lugar a Biomecânica não serve somente como discussão do movimento em segundo é que, mesmo ela está voltada para modalidades esportivas ou de elevado rendimento não se faz da exclusivamente possibilidade de aplicações sim de mas uma espaço para sua atuação.

A Biomecânica ainda deve atuar com assuntos relacionados ao aperfeiçoamento da técnica do movimento, aperfeiçoamento do processo de treinamento, aperfeiçoamento adaptações ambientais, aperfeiçoamento do mecanismo de controle de cargas internas do aparelho locomotor, aperfeiçoamento de sistemas para simulação de movimentos, aperfeiçoamento tecnológico instrumental para compra processamento de sinais biológicos ao aperfeiçoamento de sistemas (hardware programa) para análises de movimentos conseqüentes aplicações práticas.

O gavinha conceitual de teorias com as práticas de campina influencia a atividade a transporte do trabalho desenvolvido (McGinnis, 2002). Precisa-se apreender que os métodos tradicionais de ensino treinamento mostram o que como ensinar, a Biomecânica deixa escutar porque determinadas técnicas são mas apropriadas do que outras. Mas exclusivamente, a Biomecânica deixa, entre muitas outras coisas, prosperar o desempenho de atividades esportivas, prosperar a técnica de realização de movimentos, progredir equipamentos utilizados em esportes ou em atividades do quotidiano, prevenir lesões facilitar na reparação de lesões. A Biomecânica preocupa-se com a descrição, estudo versão dos movimentos dos segmentos do corpo humano, através da emprego dos dignidade básicos da física, química, matemática, fisiologia, anatomia, etc. como instrumento de estudo Segundo Hay (1985) as contribuições feitas pela biomecânica desportiva são amplamente proclamadas, entretanto, usualmente supervalorizados, ou mesmo distorcidos, a término de aumentar as vendas do que está sendo divulgado são, porque, virtualmente, como que uma medida do impacto que a biomecânica desportiva possui tido na prática. A biomecânica desportiva possui tido notável impacto sobre o ensino de técnica em ensino física nos esportes.

Em recapitulação, a biomecânica possui tido uma impacto bastante maior nas práticas de instrução física do que frequentemente se reconhece ou anuncia. Professores, técnicos atletas freqüentemente encontram-se na situação de fazer uma escolha entre duas técnicas destinadas a conseguir uma mesma objetivo. Sem dúvidas a Biomecânica deve contribuir para a efetivação de processos educativos, que envolvam comportamentos corporais, mas conscientes , conseqüentemente, marcados por concretas responsabilidades propositadamente pedagógicas. Exclusivamente no envolvente escolar, o conhecimento da Biomecânica deve contribuir significativamente para a melhoria do envolvente, da saúde da qualidade para toda a vida dos alunos. Tomando-se exemplos muito práticos, podem-se referir as mochilas carregadas pelos alunos o mobiliário escolar. Estes 2 fatores são causas de, no mínimo, desconforto, podem em longo prazo motivar graves danos às infantes. O mestre de Ensino Física, conhecendo as implicações Biomecânicas, deve informar alunos, pais demais professores para, ao menos, minimizar as conseqüências prejudiciais. Por fim, concebe-se o profissional da Ensino Física como um agente com responsabilidades que vão além das aulas de Instrução Física.

Você não pode perder:

Alimentos com potássio são aliados contra o inchaço

A relevância da avaliação física

 

Alimentos com potássio são aliados contra o inchaço

Está sentindo a roupa mas apertada do que no dia anterior? Costuma ter dores nas pernas? A sensação de inchaço possui se ciclone uma rotina? Fique cauteloso, porque deve ser resultado de uma alimento com bastante sal, do consumo inconveniente de agua ou até sintoma de diversas doenças. Descartada esta última hipótese, aposte nos mantimentos ricos em potássio para se prevenir o impecilho do acúmulo de líquidos no corpo.

Conforme a dietista Roseli Rossi, da Clínica Estabilidade Nutricional, “o inchamento ou inchaço é resultado do extravasamento de líquidos que saem dos vasos sanguíneos vão para o lona subcutâneo”.

A dieteta Renata Bressan, dieteta da Clínica Alfredo Halpern membro da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade da Síndrome Metabólica), complementa: “o sódio (sal) é quem carrega a agua para dentro dos vasos. há um consumo excessivo de sódio, o corpo resta assoberbado de líquidos o rim, responsáveis por expulsar o líquido amontoado, não consegue executar esta tarefa, o que justificação o inchaço”.

O efeito disso deve ser sentido no inchaço dos pés, mãos, coxas, tornozelos, mamas localidade abdominal, o que é visível se pressionarmos o dedo sobre a pele, porque deixa uma marca temporariamente. A pele resta com um paisagem pomposo também. o peso deve subir mais ou menos 2 quilos. Além de ter uma alimento com uma quantidade apropriada de sal tomar muita agua, outros hábitos são indicados para prevenir o obstáculo, como o consumo de mantimentos diuréticos , como já citado, os ricos em potássio.Hormônios

Desequilíbrios no nosso corpo, como variação de pressão sanguínea, quantidade de proteínas no sangue, alterações hormonais, permanecer bastante tempo em pé, uso de poucos medicamentos ou sedentarismo também podem proporcionar o emergência de edemas.

Aliás, há hormônios que podem provocar o inchaço: progesterona, cortisol, antidiurético, renina aldoesterona. A dieteta Roseli Rossi esclarece que “esses hormônios favorecem a retenção de líquidos. A progesterona, por ex, prepara o corpo para a prenhez, deixando o revestimento do útero pronto para a implantação do óvulo fertilizado. Isto faz aumentar o fluxo de líquidos pelo corpo”.

não é só na gestação que a progesterona entra em ação, porém também de antemão da mênstruo. Renata Bressan acrescenta: “no ciclo menstrual, depois a ovulação até o sangramento, a progesterona está em níveis aumentados. o hormônio é encarregado pela retenção de líquidos sódio, entre muitas outras alterações”.

O cortisol é produzido em situações de estresse, colaborando para a retenção de líquidos. Já a renina estimula a produção de um hormônio que eleva a pressão sanguínea, o que deve ocasionar lacuna renal. a aldoesterona atua nos rins aumentando a reabsorção de sódio , conseqüentemente, de agua.

Atividades físicas secagem

O inchaço desculpa um desconforto harmonioso, certamente. Pior do que isso, deve transportar dores, para andejar subtracção da flexibilidade da pele, afetar a circulação sanguínea aumentar o risco de infecções. Porém os piores agravantes são o aumento da pressão arterial a ônus renal. A hipertensão deve levar a infarto, derrama, desmaios etc.

Além do tratamento dr., há mudanças no atuação outras medidas que podem ser coadjuvantes o obstáculo, como praticar atividades físicas fazer secagem linfática. Ambas ativam a circulação. Entretanto, Bressan avisa: “a secagem linfática funciona a partir de que a alimento a hidratação sejam adequadas”. Isto é, uma coisa não compensa a outra.

De antemão de coisa, é essencial rejeitar várias patologias que podem estar causando o inchaço, segundo Bressan. Entre elas, a insuficiência renal cronica ou cardíaca, fome, desvantagens hepáticos ou doenças da tireoide.

A relevância da avaliação física

A avaliação física é um essencial processo no treinamento esportivo ou na récipe de exercícios físicos para saúde ou estética. Quanto maior o número de informações que o mestre gozar do seu pupilo, mas própria será a planilha de treinos. O profissional de Instrução Física poderá identificar possíveis fatores de risco para o desenvolvimento de doenças facilitar a estabelecer metas para o lecionando medido a lascar da identificação dos déficits apresentados, seja para prosperar o condicionamento físico, o desempenho esportivo reduzir peso ou percentual de adiposidade, nunca se esquecendo dos objetivos impostos ( necessários) pelo aprendiz.

Por meio da avaliação, o profissional terá parâmetros para identificar a melhor atividade para o aprendiz a intensidade regularidade desses exercícios com intenção de se trabalhe dentro da zona de treinamento individual.

Com finalidade de uma avaliação física seja muito feita é necessário utilizar parâmetros protocolos muito selecionados, fornecendo dados quantitativos qualitativos que indiquem, por intermédio de análises comparações, a real situação quando se encontra o medido.

Porém não basta unicamente uma avaliação física. O certo é que o aprendiz faça periodicamente a reavaliação, deixando uma conferência com finalidade de o Educador Físico tenha como seguir o progresso do medido com exatitude, sabendo se houve evolução positiva ou negativa. Com isso, é provável atualizar o programa de treinamento estabelecer novas metas.

Vale ressaltar que uma rotina de exercícios eficiente é aquela que é combinada conforme as regras com a duração intensidade dos esforços que a atividade exige, levando em consideração as condições necessidades de qualquer um diagnosticadas na avaliação. os exercícios são praticados de forma correta, há menor possibilidade de acontecer acidentes, lesões ortopédicas, reduz-se o risco de precipitação de acidentes cardiovasculares outros desgastes indevidos.

Uma boa avaliação física deve sustar:

ANAMNESE: duvidas para identificar histórico esportivo pessoal; complicações de saúde; restrições médicas medicamentos utilizados; os objetivos do praticante.

MEDIDAS CIRCUNFERENCIAIS: feitas com uma trena antropométrica, medimos as circunferências de membros superiores, tronco membros inferiores.

COMPOSIÇÃO CORPORAL: verificamos o peso a profundidade atuais detectamos o percentual de adiposidade, peso de obesidade, peso de tamanho muscular, peso ideal índice de volume corporal (IMC).

ANÁLISE POSTURAL: por intermédio de quatro posições, analisamos indicamos desvios posturais que podem interferir no treinamento na vida cotidiana da persona, indicamos exercícios para prosperar a postura do estimado.

TESTE DE FLEXIBILIDADE: vamos poder mensurar, mediante testes adimensionais, os níveis de flexibilidade amplitude declamar das primordiais articulações distensão da musculatura.

TESTES DE FORÇA: utilizamos teste abdominal de flexões de braços para analisar possíveis pontos de dores que possam limitar a realização correta dos exercícios.

TESTE CARDIORRESPIRATÓRIO: deve ser constituído de forma direta, através do teste físico, ou de forma indireta, calculada por fórmulas. Determinamos a constância cardíaca máxima todos e cada um dos limites de treinamento, além de examinar a pressão arterial durante o dedicação o nível de dedicação muscular de membros inferiores.

OS RESULTADOS SÃO PERCEBIDOS QUANDO COMPARAMOS A AVALIAÇÃO FÍSICA DO INÍCIO DO TREINAMENTO COM A AVALIAÇÃO APÓS UM TEMPO DETERMINADO.

A AVALIAÇÃO FÍSICA É SINÔNIMO DE SEGURANÇA BONS RESULTADOS.

Você não pode perder:

10 exercícios campeões para torrar calorias rumo a boa forma

A relevância da avaliação física

A relevância da avaliação física

A avaliação física é um essencial processo no treinamento esportivo ou na récipe de exercícios físicos para saúde ou estética. Quanto maior o número de informações que o mestre gozar do seu pupilo, mas própria será a planilha de treinos. O profissional de Instrução Física poderá identificar possíveis fatores de risco para o desenvolvimento de doenças facilitar a estabelecer metas para o lecionando medido a lascar da identificação dos déficits apresentados, seja para prosperar o condicionamento físico, o desempenho esportivo reduzir peso ou percentual de adiposidade, nunca se esquecendo dos objetivos impostos ( necessários) pelo aprendiz.

Por meio da avaliação, o profissional terá parâmetros para identificar a melhor atividade para o aprendiz a intensidade regularidade desses exercícios com intenção de se trabalhe dentro da zona de treinamento individual.

Com finalidade de uma avaliação física seja muito feita é necessário utilizar parâmetros protocolos muito selecionados, fornecendo dados quantitativos qualitativos que indiquem, por intermédio de análises comparações, a real situação quando se encontra o medido.

Porém não basta unicamente uma avaliação física. O certo é que o aprendiz faça periodicamente a reavaliação, deixando uma conferência com finalidade de o Educador Físico tenha como seguir o progresso do medido com exatitude, sabendo se houve evolução positiva ou negativa. Com isso, é provável atualizar o programa de treinamento estabelecer novas metas.

Vale ressaltar que uma rotina de exercícios eficiente é aquela que é combinada conforme as regras com a duração intensidade dos esforços que a atividade exige, levando em consideração as condições necessidades de qualquer um diagnosticadas na avaliação. os exercícios são praticados de forma correta, há menor possibilidade de acontecer acidentes, lesões ortopédicas, reduz-se o risco de precipitação de acidentes cardiovasculares outros desgastes indevidos.

Uma boa avaliação física deve sustar:

ANAMNESE: duvidas para identificar histórico esportivo pessoal; complicações de saúde; restrições médicas medicamentos utilizados; os objetivos do praticante.

MEDIDAS CIRCUNFERENCIAIS: feitas com uma trena antropométrica, medimos as circunferências de membros superiores, tronco membros inferiores.

COMPOSIÇÃO CORPORAL: verificamos o peso a profundidade atuais detectamos o percentual de adiposidade, peso de obesidade, peso de tamanho muscular, peso ideal índice de volume corporal (IMC).

ANÁLISE POSTURAL: por intermédio de quatro posições, analisamos indicamos desvios posturais que podem interferir no treinamento na vida cotidiana da persona, indicamos exercícios para prosperar a postura do estimado.

TESTE DE FLEXIBILIDADE: vamos poder mensurar, mediante testes adimensionais, os níveis de flexibilidade amplitude declamar das primordiais articulações distensão da musculatura.

TESTES DE FORÇA: utilizamos teste abdominal de flexões de braços para analisar possíveis pontos de dores que possam limitar a realização correta dos exercícios.

TESTE CARDIORRESPIRATÓRIO: deve ser constituído de forma direta, através do teste físico, ou de forma indireta, calculada por fórmulas. Determinamos a constância cardíaca máxima todos e cada um dos limites de treinamento, além de examinar a pressão arterial durante o dedicação o nível de dedicação muscular de membros inferiores.

OS RESULTADOS SÃO PERCEBIDOS QUANDO COMPARAMOS A AVALIAÇÃO FÍSICA DO INÍCIO DO TREINAMENTO COM A AVALIAÇÃO APÓS UM TEMPO DETERMINADO.

A AVALIAÇÀO FÍSICA É SINÔNIMO DE SEGURANÇA BONS RESULTADOS

Você não pode perder:

Técnicas de alongamento

Personal Trainer e Professor de musculação

10 exercícios campeões para torrar calorias rumo a boa forma

Nos dias de calor, a ordem é torrar sem dó nem piedade toda a força extra acumulada pelo corpo. mas: fazer isso num piscar de olhos , se provável, com muita diversão. Sim, a gente entendeu o , com uma mãozinha dos médicos Marcelo Ortiz Carlos Polazzo, do Instituto BR Esportes, este foi atendido. Numa tarefa suada, montamos um ranking com as 10 atividades que mais queimam calorias. Para a ficha permanecer completa, ainda investigamos os prós e os contras de qualquer manobra. Finalmente, não adianta permanecer com uma barriguinha muito bonita se você for obrigada a permanecer de atado em vivenda, com dores pelo corpo todo.

1. Corrida

Não possui jeito: o pódio ainda é dela. Com uma hora de corrida, você gasta terríveis 900 calorias. Isso equivale a uma lasanha, um copo médio de coca-cola, uma porção de músculos de frango um brigadeiro. Ufa!

Em prol: melhora o condicionamento cardíaco.
: desvelo com o impacto do joelho na pilar ao passar. Escolha um tênis com bons amortecedores (acerte na escolha do tênis).

2. Andejar de bicicleta

Trespassar pedalando pelas ruas é expressão com sentido aproximado de 840 calorias a menos no corpo.

Em prol: melhora o condicionamento cardíaco.
: Zelo com o desgaste da pilastra com o joelho. De antemão de debutar a pedalar, não deixe de ajustar o banco assim você nunca estique completamente a perna.

3. Tênis

Trata-se de um esporte completo: precisa de força para atirar a bolinha bastante fôlego para percorrer a quadra. Porém tanto dedicação é muito recompensado com a despedida de 800 calorias numa partida de uma hora.

Em prol: melhora a coordenação motriz, fortalece os musculos (especialmente dos braços) aumenta a destreza
: lesões nos ombros nos punhos, caso você se esforce demais. Se nunca praticou, procure um mestre no mínimo no mês inicial.

4. Bola

Temos um raciocínio imbatível para você topar uma bolinha, se bem que tenha concluído de trespassar da manicure: uma hora de uma boa pelada consome 780 calorias!

Em prol: fortalece as pernas melhora o condicionamento
: tome zelo com os esbarrões com as divididas, que podem exigir alguma coisa de força jogo de cintura

5. Boxe

Coloque as recompensa vamos ao ringue. Treinando boxe, você queima até 660 calorias ainda define os braços.

Em prol: pique de campeã musculos dos braços bastante muito torneados.
: exige bastante preparo. Quantos aos socos, eles são feitos em sacos

6. Musculação

Deve ser em vivenda, com pesinhos, ou na ateneu. Para qualquer hora de treino, você perder, em média, 720 calorias.

Em prol: melhora a resistência proferir muscular, fortalece os ossos ainda acelera a queima de calorias.
: deve danificar musculos tendões se não for feita com orientação apropriada (saiba como evitar lesões).

7. Vogar

Sim, deve parecer estranho difícil vogar em plena cidade extensa, porém os médicos garantem a eficiência. Uma hora de braços para lá para cá eliminam 600 calorias do corpo.

Em prol: melhora o condicionamento cardíaco muscular, define todo o tônico os braços rapidinho. É o segundo manobra mas completo que existe (depois da natação).
: deve ocasionar tendinite nos braços

8. Natação

Uma hora queima 540 calorias.

Em prol: trabalha todos e cada um dos musculos melhora o condicionamento.
: desvelo com os choques térmicos, caso treine numa piscina aquecida. Não se esqueça de atrasar, evitando cãibras.

9. Basquetebol

Não precisa ser nenhum craque do NBA, porém conceder uma corridinha para um outro lado da quadra tentar praticar a globo na cesta deve fazer perder 480 calorias.

Em prol: trabalha braços pernas, praticamente na mesma proporção, além de desenvolver o condicionamento físico
: desvelo com impactos bruscos no joelho na pilar com as trombadas na quadra.

10. Vôlei

Você continuamente pensou: ah, aquele esporte quando a gente resta meio parado nem deve me auxiliar a emagrecer… porque errou. Uma hora praticando vôlei elimina 420 calorias da sua ventre, da sua perna, do seu bumbum…

Em prol: braços abdômen definidos
: zelo com as lesões nos dedos das mãos. Elas costumam ser frequentes.

Você não pode perder:

Historia da educação física

Fatores que caracterizam programa de condicionamento físico

Personal Trainer e Professor de musculação

Bom como sabemos, as pessoas aqui no Brasil confundem bastante esses 2 profissionais, no altura a treinamento acadêmica é a mesma, isto é, os dois têm que se formarem em uma faculdade de Ensino Física ter bacharelado ou ser treinado em Licenciatura Plena, porque os dois podem trabalhar em academia, condômínios, etc.

O que as pessoas viajam na maionese, é que almejam fazer musculação, almejam que o mestre, que tem conformar 30 alunos juntamente, faça o ajuda de um personal pagando só a academia.

Saiba que se deseja sobreviver no planeta da fantasia, a Disney World não é aqui no Brasil, se almeja auxílio personalizado deve quitar, não é barato. Porém se você quiser possuir vontade de aprender com o seu mestre de musculação, possuir muita força de vontade, vai se conceder muito, porque quanto mas você produzir uma independência consciente, mas seu mestre de musculação poderá fazer treinos mas complexos pra você.

Quanto mas dependente do seu mestre você permanecer, quer dizer, vem treinar sem vontade, de má disposição deseja que seu mestre monte tudo pra você, você limita este pra conseguir orientar ou melhor, não tenta marchar com as próprias pernas, não está cândido ao aprendizagem, resta difícil ter progressos.

Já os alunos de personais, não precisam se preocupar em aprender, porque eles constantemente terão alguém para ajustar seus exercícios, mas em ressarcimento nunca sabem o que estão fazendo porque são dependentes do seu personal, frequentemente possui baixa motivação magra disciplina. Porém o essencial é que quando menos estão tentando progredir sua qualidade para toda a vida são sinceros com eles mesmos, porque sabem que não gostam porém precisam se cuidar.

Falo isso pela minha própria experiência com alunos particulares, a maior parte pra não expressar toda gente, criticam pra mim, que se não tivessem compromisso comigo, sozinhos não conseguem treinar ter disciplina.

Se você possui esta consciência, porém sua veras não lhe deixa remunerar aulas particulares, logo mude o modo de como você vê a atividade física, isto é, se você filosofar que é ruim ou bom treinar, você está certo dos 2 jeitos. O que muda é como você olha este modelo. Se motive de modo sucessivo.

Não queira fazer tudo de uma vez, porque de forma você não vai aprender direito, porque o processo de estágio é um processo lento que exige paciência persistência continuamente, porque se cuidar é pra vida toda, mesmo tendo nossos altos baixos o negócio é nunca desistir.

VANTAGENS EM TER UM PERSONAL:
Você possui um mestre só pra você.
Você possui um compromisso com o profissional, de forma é mas difícil faltar.

DESVANTAGENS EM TER UM PERSONAL:
É mas custoso. Usualmente tem saldar a liceu mas o Personal.
Você para dependente, não que a persona não deseje isso. Porém para algo limitada.

VANTAGENS EM SER ORIENTADO PELO PROF. MUSCULAÇÃO:
Você possui capacidade de continuamente ter contatos com professores, que mesmo sobrevindo um mesmo padrão imposto pela liceu para sustentar a qualidade de serviço, continuamente terá uma orientação dissemelhante de qualquer mestre, conforme que você vai tendo contato com eles.

Mesmo com muitos clientes na academia , os professores estão constantemente disponíveis para tirar as dúvidas, é só abordá-los. Lembre-se o mestre não possui globo de transparência pra descobrir se você está precisando dele ou não, você é um aprendiz do meio de os trinta. Este, do meio de os trinta alunos é somente um mestre.

É mas barato, já está incluso a orientação do mestre na mensalidade.

DESVANTAGENS EM SER ORIENTADO PELO PROF. MUSCULAÇÃO:

Você deve aprender os exercícios novos toda vez que muda sua ficha. Pela nossa experiência, as pessoas ficam alguma coisa perdidas nos novos treinos nas primeira 2 ou 3 semanas. Depois a coisa vai tranquila.

Você não possui um mestre só pra você. Deve descobrir dividir a atenção dele com os outros alunos também.

Bom só pra finalizar, seu mestre de musculação ou seu personal é unicamente a ponta da bússola, ou melhor, serve pra indicar o caminho do sucesso pra prosperar a sua saúde sua estética, mas quem vai remunerar o preço fazer a coisa toda sobrevir é tão somente uma persona:

VOCÊ. VOCÊ. VOCÊ.

Pense, Reflita, Seja Feliz Saudável.

Técnicas de alongamento

As principais técnicas de desenvolvimento desta capacidade abordadas na literatura (Alter,1996; Barbanti,1996; Blair et al.,1994; Moore & Hutton,1980; Magnusson et al.,1996; Osternig et al., 1990; Sharkey,1998; Sullivan et al.,1992; Esnault et al.,1986; Knott & Voss,1968; Hamill,1995) são:

Alongamento ativo – É estabelecido pela atividade muscular do próprio indivíduo envolvido na ação, sem ajuda externa (figura 1a).

Alongamento passivo – Não ocorre contribuição ou contração ativa do sujeito submetido à ação, ou seja, o alongamento é totalmente promovido por forças externas, através do auxílio de um parceiro ou de um equipamento mecânico (figura 1b).

Facilitação neuromuscular propioceptiva (FNP) – Consiste basicamente de um processo seqüencial, iniciado por um alongamento passivo estático, seguido de uma contração isométrica de seis a dez segundos do músculo que é mantido alongado, e imediatamente após, aplica-se outro alongamento assistido de maior amplitude que o primeiro. Abrange também outras variações, associando, alternadamente, contrações excêntricas, concêntricas e isométricas, durante a estimulação de músculos agonistas e antagonistas. Segundo os autores citados no parágrafo anterior, tal técnica é baseada em importantes mecanismos neurofisiológicos, que incluem facilitação e inibição, resistência, irradiação, indução e reflexos. Knott & Voss (1968) concebem-na como um método que “promove ou ativa os mecanismos neuromusculares através da estimulação dos proprioceptores” (figura 1c).

[#Z]
figura 1. As técnicas de alongamento: a) Ativo; b) Passivo; c) FNP (modificado de Enoka,1994 e Alter,1996)

Em relação as técnicas descritas, é prudente e necessário afirmar que, todas elas geram algum tipo de estimulação nos proprioceptores. Etnyre & Abraham (1986) confirmam tal argumento, ao revelarem que as influências neurais homônimas (relativas ao próprio músculo) e recíprocas (relativas ao músculo antagonista), de receptores fusais e tendíneos, são habitualmente identificadas em todos os métodos de alongamento conhecidos. Em nosso ponto-de-vista, parece que a FNP é a que mais potencializa estas ações reflexas, devido as formas combinadas de solicitação funcional, supostamente mais adequadas.

Fox & Mathews (1991), Manno & Nicolini (1987), Blair et al (1994) comentam que no alongamento estático, ocorre maior possibilidade de aumento do número de sarcômeros em série, conseqüentemente, do comprimento muscular, devido ao maior tempo de exposição às tensões geradas no grau específico do estiramento, que se mantêm constante. Os mesmos autores preconizam também que, no alongamento balístico, a forma abrupta de solicitação muscular provocada pela estiramento dinâmico, ativa mais intensamente os fusos e, minimamente, os orgãos tendinosos. Com isso, estimula-se a contração dos músculos alongados, o que acarreta maior resistência na extensibilidade e provável aumento na dor durante o estímulo.

Você não pode perder:

Fatores que caracterizam programa de condicionamento físico

Emagreça, porém não só para o verão!

Emagreça, porém não só para o verão!

Almeja emagrecer? Logo faça por merecer!

Coma certo treine adequadamente. Desgraçadamente essa é uma verdade para a maior parte da população global.

Entenda uma coisa: Excetuando-se os casos de distúrbios hormonais psicológicos, sem dedicação progressivo estável, você não perderá os quilinhos extras! Um corpo saudável belo deve ser rebuscado o ano todo, não unicamente no temporada o que sua exposição é maior.

Quem já não se fez as seguintes duvidas: “Porém o que fulano(a) come tudo o que deseja não engorda? Porque razão eu como certinho nada obstante não consigo emagrecer?”

A resposta é fácil: Genética! Qualquer um possui uma resposta dissemelhante para os mesmos provisões, o que torna ineficaz confrontação sua com outra persona.

Porque muito, porém você, dispendioso lente, deve estar se perguntando: O que devo fazer para perde quilinhos extras?

 

  1. Para emagrecer, a primeira atitude a ser tomada é mudar a mentalidade. Pense de modo saudável aja como tal.
  2. Procure um dr., faça um check up fracção um teste de dedicação o que vai predizer que a freqüência meta de treino. Fuja da fórmula “220 menos a idade”;
  3. Exercite-se de modo jacente, segura apropriada ao seu objetivo;
  4. Não seja iludido por dietas extremamente severas /ou milagrosas. A enferrujamento de obesidade acontece de modo paulatino discreta. Seja persistente paciente com seus resultados;
  5. Procure uma dieta. Coma conforme as regras não ultrapasse 3 horas sem se cevar;
  6. Trace metas graduais possíveis. Além de mas protegido, ao conseguir qualquer lanço, vai estar ainda mas motivado a prosseguir.

A obesidade agora é tratantada como uma pandemia. Deve ser fraude de uma forma contundente por toda sociedade com intenção de se tenha como evitar as complicações inerentes às doenças crônico degenerativas(diabetes, cardiopatias, hipertensão, etc.).

Engordar quer dizer que, de uma forma cronica, a ingestão está ultrapassando o gasto calórico. Deste modo, são precisas intervenções profissionais (Dr. – Dieta – Educador Físico), que traçarão em conjunto uma estratégia segura no final das contas. Se você é um adulto jovem, desvelo! O temporada dos 25 aos 44 anos representa um enorme transe para o apresentação da gordura excessiva, razão pela que a atenção deve ser redobrada. (Katch, Katck McArdle, 2008).

Outro fator essencial para o acúmulo excessivo de adiposidade é o sedentarismo. Meios fácil como trocar o carro pelas escadas, caminhadas ir ao trabalho de bicicleta podem progredir bastante sua quesito atual. Com o propósito de ocorra uma maior enferrujamento de lípides, deve-se trabalhar à roda de 65 a 70% da constância cardíaca máxima (Edwards S., 2001). Essa estimativa é feita pelo educador físico, é predita à lascar do teste de dedicação ou teste ergométrico, que registra a atividade elétrica do coração durante a dedicação física. Deixa ainda determinar tal e como se porta a pressão arterial no dedicação, os sintomas percebidos pelo paciente sua habilidade física atual.

Não tenha um corpo lindo saudável somente no verão. Mude seus hábitos sempre! Sua saúde agradece!

Fontes: Indicações do American College of Sports Medicine; Fisiologia do Tirocínio, Katch, Katck McArdle (2008); O Livro do Monitor de Freqüência Cardíaca, Edwards. S. (2001).

Prof. Esp. Gustavo Zorzi – CREF 051157 G-SP.

Acessem meu website web.gustavozorzi.com.br ou Twitter (@gzorzi) dêem sugestões para o próximo artigo.

Gustavo Zorzi é Educador físico, Pós Graduado em:

Fisiologia do Tirocínio (UGF),

Musculação Condicionamento Físico (UNIFMU) em

Biomecânica da Atividade Física Saúde (UGF).

site: http://codigoemagrecerdevez.org/

Fatores que caracterizam programa de condicionamento físico

O que devemos saber para que possamos fazer um programa de condicionamento físico decente? Pensando nisso, separei algumas caracteristicas que nortearam esse trabalho:

* Tipo de atividade – que envolvam grandes massas musculares e que possam ser exercitadas de forma contínua e cíclica .
* Duração do esforço – deve ser inversamente proporcional à sua intensidade.
* Iintensidade do esforço – deve ser prescrita de forma a possibilitar uma sustenção do exercício em condiçòes de “steady-state “.
* Frequência do treinamento – preconiza uma frequência semanal variando de três a cinco vezes.

Apenas para lembrar, a grande maioria de pessoas que procuram a atividade física, que querem um trabalho personalizado, são sedentários e de vida ativa, portanto eles procuram: prazer, bem-estar, qualidade de vida , lazer, prevenção e estética .

Neste caso precisa-semontar um programa de exercicios que desenvolvam sua aptidão física, que são:

*Aptidão Cardiorrespiratória – capacidade dos sistemas circulatórios e repiratório de se ajustar e de se recuperar dos efeitos das atividades.
*Aptidão Corporal – quantidade relativas de gordura corpórea e massa corporal magra.
*Aptidão Músculo-Esquelética – flexibilidade , força muscular ( força máxima) e resistência muscular ( força submáxima repetidamente).

Esses três sistemas: pulmões, coração e músculos se comunicam entre si pelas vias químicas e nervosas para assegurar uma coordenação precisa e exigente de todas as atividades. Dessa maneira, quanto mais esses sistemas forem utilizados , mais fácil e prazeiroso serão os exercícios físicos propostos, ou seja, os pulmões, coração e músculos se desenvolvem enquanto as articulaçòes são mantidas flexivéis e a gordura corporal é mantida num nível saudável.

Confira 5 dicas eficazes para se tornar mais produtivo

 

Está cheio de metas para 2012? Então deixe a preguiça e o conformismo de lado e concretize o que deseja. Para se tornar mais produtivo, é fundamental seguir cinco dicas básicas, listadas pelo site Your Tango. Confira abaixo:

1 – Crie pressão
Quer realmente se empenhar para alcançar suas metas? Então peça que alguém lhe cobre. Pode ser um amigo, um familiar ou um colega, desde que esteja disposto a desempenhar esse papel. Diga o que deseja fazer e fale o seu prazo. Por exemplo, se pretende escrever um livro, diga quantas páginas ou capítulos vai concluir até tal data. Caso não consiga chegar ao seu objetivo, é importante conversar com seu “chefe” sobre o assunto e determinar o que deu errado, estabelecendo ajustes.

2 – Motivação
O que lhe inspira e faz com que trabalhe melhor? Observe isso e coloque em prática para aumentar a produtividade. Se certas músicas ajudam na sua criatividade, escute-as. Se caminhar pela manhã lhe deixa mais disposto a enfrentar a correria do dia-a-dia, vista uma roupa confortável e coloque as pernas em ação.

3 – Deixe as desculpas de lado
Todos têm “razões” para não poder fazer as coisas ou perder metas. Elas não passam de desculpas, que devem ser esquecidas. Procure soluções.

4 – Esqueça o “não consigo”
Dificilmente o “não consigo” ou “não é possível” corresponde à realidade. Normalmente, é só um código para substituir o “não quero” ou o “é muito trabalho”. Elimine as frases negativas do seu vocabulário e faça acontecer o que almeja.

5 – Comprometa-se a fazer melhor
Se você não está mentalmente empenhado em executar mudanças, as coisas vão ficar sempre do mesmo jeito. Comprometa-se com o que quer.

Historia da educação física

Tudo começou quando o homem primitivo sentiu a necessidade de lutar, fugir ou caçar para sobreviver. Assim o homem à luz da ciência executa os seus movimentos corporais mais básicos e naturais desde que se colocou de pé: corre, salta, arremessa, trepa, empurra, puxa e etc.

CHINA – Como Educação Física as origens mais remotas da história falam de 3000 A. C. lá na China. Um certo imperador guerreiro, Hoang Ti, pensando no progresso do seu povo pregava os exercícios físicos com finalidades higiênicas e terapêuticas além do caráter guerreiro.

ÍNDIA – No começo do primeiro milênio, os exercícios físicos eram tidos como uma doutrina por causa das “leis de Manu”, uma espécie de código civil, político, social e religioso. Eram indispensáveis às necessidades militares além do caráter fisiológico. Buda, atribuía aos exercícios o caminho da energia física, pureza dos sentimentos, bondade e conhecimento das ciências para a suprema felicidade do Nirvana, (no budismo, estado de ausência total de sofrimento).
O Yoga, tem suas origens na mesma época retratando os exercícios ginásticos no livro “Yajur Veda” que além de um aprofundamento da Medicina, ensinava manobras massoterápicas e técnicas de respirar.

JAPÃO – A história do desenvolvimento das civilizações sempre esbarra na importância dada à Educação Física, quase sempre ligados aos fundamentos médicos-higiênicos, fisiológicos, morais, religiosos e guerreiros. A civilização japonesa também tem sua história ligada ao mar devido à posição geográfica além das práticas guerreiras feudais: os samurais.

EGITO – Dentre os costumes egípcios estavam os exercícios Gímmicos revelados nas pinturas das paredes das tumbas.
A ginástica egípcia já valorizava o que se conhece hoje como qualidades físicas tais como: equilíbrio, força, flexibilidade e resistência. Já usavam, embora rudimentares, materiais de apoio tais como tronco de árvores, pesos e lanças.

GRÉCIA – Sem dúvida nenhuma a civilização que marcou e desenvolveu a Educação Física foi a grega através da sua cultura. Nomes como Sócrates, Platão, Aristóteles, e Hipócrates contribuíram e muito para a Educação Física e a Pedagogia atribuindo conceitos até hoje aceitos na ligação corpo e alma através das atividades corporais e da música. “Na música a simplicidade torna a alma sábia; na ginástica dá saúde ao corpo” Sócrates. É de Platão o conceito de equilíbrio entre corpo e espírito ou mente.
Os sistemas metodizados e em grupo, assim como os termos halteres, atleta, ginástica, pentatlo entre outros, são uma herança grega. As atividades sociais e físicas eram uma prática até a velhice lotando os estádios destinados a isso.

ROMA – A derrota militar da Grécia para Roma, não impediu a invasão cultural grega nos romanos que combatiam a nudez da ginástica. Sendo assim, a atividade física era destinada às práticas militares. A célebre frase “Mens Sana in Corpore Sano” de Juvenal vem desse período romano.

IDADE MÉDIA – A queda do império romano também foi muito negativo para a Educação Física, principalmente com a ascensão do cristianismo que perdurou por toda a Idade Média. O culto ao corpo era um verdadeiro pecado sendo também chamado por alguns autores, de “Idade das Trevas”.

A RENASCENÇA – Como o homem sempre teve interesse no seu próprio corpo, o período da Renascença fez explodir novamente a cultura física, as artes, a música, a ciência e a literatura. A beleza do corpo, antes pecaminosa, é novamente explorada surgindo grandes artistas como Leonardo da Vinci (1452-1519), responsável pela criação utilizada até hoje das regras proporcionais do corpo humano.
Consta desse período o estudo da anatomia e a escultura de estátuas famosas como por exemplo a de Davi, esculpida por Michelângelo Buonarroti (1475 – 1564). Considerada tão perfeita que os músculos parecem ter movimentos. A dissecação de cadáveres humanos deu origem à Anatomia como a obra clássica “De Humani Corporis Fábrica” de Andrea Vesalius (1514-1564).
A volta de Educação Física escolar se deve também nesse período a Vitorio de Feltre (1378-1466) que em 1423 fundou a escola “La Casa Giocosa” onde o conteúdo programático incluía os exercícios físicos.

ILUMINISMO – O movimento contra o abuso do poder no campo social chamado de iluminismo surgido na Inglaterra no século XVII deu origem a novas idéias. Como destaque dessa época os alfarrábios apontam: Jean-Jaques Rousseau (1712-1778) e Johann Pestalozzi (1746-1827). Rousseau propôs a Educação Física como necessária à educação infantil. Segunde ele, pensar dependia extrair energia do corpo em movimento.
Pestalozzi foi precursor da escola primária popular e sua atenção estava focada na execução correta dos exercícios.

IDADE CONTEMPORÂNEA – A influência na nossa ginástica localizada começa a se desenvolver na Idade Contemporânea e quatro grandes escolas foram as responsáveis por isso: a alemã, a nórdica, a francesa, e a inglesa.
A alemã, influenciada por Rousseau e Pestalozzi, teve como destaque Johann Cristoph Friederick Guts Muths (1759-1839) considerado pai da ginástica pedagógica moderna.
A derrota dos alemães para Napoleão deu origem a outra ginástica. A turnkunst, criada por Friederick Ludwig Jahn (1788-1825) cujo fundamento era a força. “Vive Quem é Forte”, era seu lema e nada tinha a ver com a escola. Foi ele quem inventou a barra fixa, as barras paralelas e o cavalo, dando origem à Ginástica Olímpica.
A escola voltou a ter seu defensor com Adolph Spiess (1810-1858) introduzindo definitivamente a Educação Física nas escolas alemãs, sendo inclusive um dos primeiros defensores da ginástica feminina.
A escola nórdica escreve a sua história através de Nachtegall (1777-1847) que fundou seu próprio instituto de ginástica (1799) e o Instituto Civil de Ginástica para formação de professores de Educação Física (1808).
Por mais que um profissional de Educação Física seja desligado da história, pelo menos algum dia já ouviu falar em ginástica sueca, um grande trampolim para o que se conhece hoje. Per Henrik Ling (1766-1839) foi o responsável por isso levando para a Suécia as idéias de Guts Muths após contato com o instituto de Nachtegall. Ling dividiu sua ginástica em quatro partes: a pedagógica – voltada para a saúde evitando vícios posturais e doenças, a militar – incluindo o tiro e a esgrima, a médica – baseada na pedagógica evitando também as doenças e a estética – preocupada com a graça do corpo.
Alguns fundamento ideológicos de Ling valem até hoje tais como o desenvolvimento harmônico e racional, a progressão pedagógica da ginástica e o estado de alegria que deve imperar uma aula. Claro, isso depende do austral e o carisma do profissional.
Um do seguidores de Ling, o major Josef G. Thulin introduz novamente o ritmo musical à ginástica e cria os testes individuais e coletivos para verificação da performance.
A escola Francesa teve como elemento principal o espanhol naturalizado Francisco Amoros Y Ondeano (1770-1848).
Inspirado em Rabelais, Guts, Jahn e pestalozzi, dividiu sua ginástica em: Civil e Industrial, Militar, Médica e Cênica. Outro nome francês importante foi G. Dêmey (1850-1917). Organizou congresso, cursos (inclusive o Superior de Educação Física), regiu o Manual do Exército e também era adepto à ginástica lenta, gradual, progressiva, pedagógica, interessante e motivadora.
O método natural foi defendido por Georges Herbert (1875-1957): correr, nadar, trepar, saltar, empurrar, puxar e etc.
A nossa Educação Física, a brasileira teve grande influência na Ginástica Calistenia criada em 1829 na França por Phoktion Heinrich Clias (1782-1854).
A escola inglesa baseava-se nos jogos e nos esportes, tendo como principal defensor Thomas Arnold (1795-1842) embora não fosse o criador. Essa escola também ainda teve a influência de Clias no treinamento militar.

A CALISTENIA – É por assim dizer, o verdadeiro marco do desenvolvimento da ginástica moderna com fundamentos específicos e abrangentes destinada à população mais necessitada: os obesos, as crianças, os sedentários, os idosos e também às mulheres.
Calistenia, segundo Marinho (1980) citado por Marcelo Costa, vem do grego Kallos (belo), Sthenos (força) e mais o sufixo “ia”.
Com origem na ginástica sueca apresenta um divisão de oito grupos de exercícios localizados associando música ao ritmo dos exercícios que são feitos à mão livre usando pequenos acessórios para fins corretivos, fisiológicos e pedagógicos.
Os responsáveis pela fixação da Calistenia foram o Dr. Dio Lewis e a (A. C. M.) Associação Cristã de Moços com proposta inicial de melhorar a forma física dos americanos que mais precisavam. Por isso mesmo, deveria ser uma ginástica simples, fundamentada na ciência e cativante. Em função disso o Dr. Lewis era contra os métodos militares sob alegação que as mesmas desenvolviam somente a parte superior do corpo e os esportes atléticos não proporcionavam harmonia muscular. Em 1860 a Calistenia foi introduzida nas escolas americanas.
No Brasil dos anos 60 começou a ser implantada nas poucas academias pelos professores da A. C. M. ganhando cada vez mais adeptos nos anos 70 sempre com inovações fundamentadas na ciência. Sendo assim o Dr. Willian Skarstrotron, americano de origem sueca, dividiu a Calistenia em 8 grupos diferentes do original: braços e pernas, região póstero superior do tronco, póstero inferior do tronco, laterais do tronco, equilíbrio, abdômen, ombros e escápulas, os saltitos e as corridas.
Nos anos 80 a ginástica aeróbica invadiu as academias do Rio de Janeiro e São Paulo abafando um pouco a calistenia. Como na Educação Física sempre há evolução também em função dos erros e acertos. Surge então, ainda no final dos anos 80 a ginástica localizada desenvolvida com fundamentos teóricos dos métodos da musculação e o que ficou de bom da Calistenia. A ginástica aeróbica de alto impacto causou muitos microtraumatismos por causa dos saltitos em ritmos musicais quase alucinantes. A musculação surgiu com uma roupagem nova ainda nos anos 70 para apagar o preconceito que algumas pessoas tinham com relação ao Halterofilismo.
Hoje, sob pretexto da criatividade, a ginástica localizada passa por uma fase ruim com alguns professores ministrando aleatoriamente, aulas sem fundamentos específicos com repetições exageradas, fato que a ciência já reprovou, principalmente se o público alvo for o cidadão comum.

A EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL
Os índios – No Brasil colônia – Os primeiros habitantes, os índios, deram pouca contribuição a não ser os movimentos rústicos naturais tais como nadar, correr atraz da caça, lançar, e o arco e flecha. Na suas tradições incluem-se as danças, cada uma com significado diferente: homenageando o sol, a lua, os Deuses da guerra e da paz, os casamentos etc. Entre os jogos incluem-se as lutas, a peteca, a corrida de troncos entre outras que não foram absorvidas pelos colonizadores. Sabe-se que os índios não eram muito fortes e não se adaptavam ao trabalho escravo.
Os negros e a capoeira – Sabe-se que vieram para o Brasil para o trabalho escravo e as fugas para os Quilombos os obrigava a lutar sem armas contra os capitães-do-mato, homens a mando dos senhores de engenho que entravam mato a dentro para recapturar os escravos. Com o instinto natural, os negros descobriram ser o próprio corpo uma arma poderosa e o elemento surpresa. A inspiração veio da observação da briga dos animais e das raízes culturais africanas. O nome capoeira veio do mato onde entrincheiravam-se para treinar.
“Um estranho jogo de corpo dos escravos desferindo coices e marradas, como se fossem verdadeiros animais indomáveis”. São algumas das citações de capitães-do-mato e comandantes de expedições descritas nos poucos alfarrábios que restaram. Rui Barbosa mandou queimar tudo relacionado à escravidão.
Brasil Império – Em 1851 a lei de n.º 630 inclui a ginástica nos currículos escolares. Embora Rui Barbosa não quisesse que o povo soubesse da história dos negros, preconizava a obrigatoriedade da Educação Física nas escolas primárias de secundárias praticada 4 vezes por semana durante 30 minutos.
Brasil República – Essa foi uma época onde começou a profissionalização da Educação Física.
As políticas públicas – Até os anos 60 o processo ficou limitado ao desenvolvimento das estruturas organizacionais e administrativas específicas tais como: Divisão de Educação Física e o Conselho Nacional de Desportos.
Os anos 70, marcado pela ditadura militar, a Educação Física era usada, não para fins educativos, mas de propaganda do governo sendo todos os ramos e níveis de ensino voltada para os esportes de alto rendimento.
Nos anos 80 a Educação Física vive uma crise existencial à procura de propósitos voltados à sociedade. No esporte de alto rendimento a mudança nas estruturas de poder e os incentivos fiscais deram origem aos patrocínios e empresas podendo contratar atletas funcionários fazendo surgir uma boa geração de campeões das equipes Atlântica Boa Vista, Bradesco, Pirelli entre outras.
Nos anos 90 o esporte passa a ser visto como meio de promoção à saúde acessível a todos manifestada de três formas: esporte educação, esporte participação e esporte performance.
A Educação Física finalmente regulamentada é de fato e de direito uma profissão a qual compete mediar e conduzir todo o processo.

Os passos da profissão:
1946 – Fundada a Federação Brasileira de Professores de Educação Física.
1950 a 1979 – Andou meio esquecida com poucos e infrutíferos movimentos.
1984 – Apresentado 1º projeto de lei visando a regulamentação da profissão.
1998 – Finalmente a 1º de setembro assinada a lei 9696 regulamentando a profissão com todos os avanços sociais fruto de muitas discussões de base e segmentos interessados.

Literatura Consultada:
1) Costa, Marcelo Gomes – Ginástica localizada. Ed. Sprint, 2ª edição, R.J.1998.
2) Silva N.Pithan Atletismo Ed. Cia Brasil editora 2ª Ed. São Paulo
3) Steinhilber, Jorge. Profissional de Educação Física Existe? Ed. Sprint, Rio de Janeiro R.J. 1996.